Translator

terça-feira, 14 de junho de 2011

HISTÓRIA DE PORTUGAL NA TAILÂNDIA: "WEBSITE RECOMENDÁVEL A HISTORIADORES E ACDÉMICOS"

Nas minhas vasculhagens, diárias, na internet vou encontrar um website interessante,
com imagens e embora lhe falte muito conteúdo é de utilidade para os interessados na História de Portugal na Tailândia. Trabalho, absolutamente, honesto de Tricky Vandenberg (não conheço) que dá uma panorâmica real e menciona nomes (pessoas com quem lidei) de quando as escavações no Campo de São Domingos. Entre estas destaco: Patipat Pumpongpaet; Pirak Javanakriang, arqueológos do Fine Arts Department (Belas Artes) da Tailândia; arquitecto Eduardo Kol de Carvalho (bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian) e Rita Bernardes de Carvalho.
.
Falta ainda mencionar outros nomes que contribuiram para o projecto das escavações. Mais tarde as revelarei.
.
Destaco porém a arqueóloga, portuguesa, Rita de Carvalho uma jovem que me contactou, em 2005, e a dar-me a conhecer  seu interesse na investigação da História de Portugal na Tailândia. A Rita chegou a Banguecoque em Abril, acolhi-a em minha casa, durante 10 dias, onde na minha biblioteca particular procurou o que necessitava.
Mais tarde voltou à Banguecoque, leveia ao Ban Portuguet e esteve em Ayuthaya, hospedada (a suas expensas) numa guest house, durante uma semana, alugou uma bicicleta e pedalava desde a cidade ao Ban Portuguet.
.
Na terceira vez na Tailândia, voltei acolhê-la em minha casa e presenteou-me com uma magnífica obra que depois de analisar o valor do seu trabalho, fui levá-lo ao embaixador Faria e Maya para o ler (não sei se o valioso trabalho está na missão ou se foi para Portugal no contentor).
.
Faria e Maya desde logo desejou conhecer a Rita  e recomendou-a à Fundação Gulbenkian que a viria a convidar para supervisionar as escavações da Igreja de São Paulo dos Jesuítas no Ban Portuguet que seriam financiadas pela referida Fundação.
.
A Rita, acompanhada de uma senhora representante da Gulbenkian, de Lisboa viajou a Banguecoque para verem o local das ruínas da igreja dos Jesuítas,  juntamente com o embaixador Faria e Maya.
.
Estive presente e obti numerosas imagens que conservo nos meus arquivos.  
.
Entretanto, forças ocultas que se movimentavam por Banguecoque logo se apressaram a divulgar que a igreja de São Paulo não era ali e em vez dela um templo budista.
.
Pouco, depois, um jornalista português foi ao Ban Portuguet e viria a escrever no seu jornal que não houveram três igrejas católicas no Ban Portuguet, mas sim duas.
.
O trabalho que a jovem Rita de Carvalho iria fazer foi na corrente de águas turvas. Quem ficou a perder foi a história de Portugal na Tailândia!
Actualmente é bolseira da Fundação Oriente, em Paris, a concluir Mestrado.
.
De quando no início das escavações na paróquia de S.Domingos - Ban Portuguet - Bairro Português em Ayuthaya.
.
Nesta página da internet encontram-se fotos com uma legendas de alguns dos objetos escavados no Bairro Português.
.
Escavação começou em 02 março de 1984 pela  1ª da Divisão de Arqueologia do Departamento de Belas Artes, sob a responsabilidade do Sr. Patipat Pumpongpaet e em colaboração com a Fundação Calouste Gulbenkian, de Portugal.
.
A descrição dos objectos é baseado no folheto apresentado pelo "Museu Nacional do Rei Narai", em Lopburi, que exibiu um número de objetos a partir de 2 abril - 31 maio 1987.
.
O documento é intitulado "A escavação do Bairro Português de Ayutthaya" e foi escrito pelo Sr. Patipat Pumpongpaet e Pirak  Javanakriangkrai. O folheto foi-me gentilmente cedido por eles.

O plano foi elaborado pelo arquitecto. Eduardo Kol de Carvalho, em Agosto de 1984. No catálogo de exposição "Os Portugueses em Ayutthaya" da Embaixada de Portugal em Banguecoque publicado por ocasião do Dia Nacional de Portugal, em 10 de junho de 1985.

[1] Presença La Portugaise um Ayutthaya (Siam) XVIe siècles et aux do século XVII - Rita Bernardes de Carvalho (Paris, 2006).

Text by Tricky Vandenberg - March 2011 e tradução livre de José Martins